segunda-feira, 1 de junho de 2015

Cinderela Moderna

No dia 16 de maio, aconteceu a apresentação do Teatro Balé Guaíra em Belo Horizonte. O grupo de dança foi fundado em 1969 e conta com apresentações memoráveis nestes 46 anos de trabalho. O grupo já fez montagens como o espetáculo “O Grande Circo Místico”, que foi inspirado na poesia de Jorge de Lima, e contou com Chico Buarque na composição da trilha sonora. Dessa vez, o espetáculo apresentado foi “Cinderela”. Mas, ao contrário do que muitos podem imaginar, a apresentação não foi nada convencional.

A coreografia dispensou o clássico e utilizou a dança contemporânea nos passos. O enredo foi passado, aproximadamente, entre as décadas de 50 e 60. O cenário representava bem essa década. Em uma enorme televisão, passavam-se cenas da época. Ao invés de uma fada madrinha, Cinderela possuía um padrinho mágico. 


Foto divulgação: Karin van der Broocke

A coreografia foi desenvolvida por Gustavo Ramirez Sansano. Ele nasceu na Espanha e foi diretor artístico do grupo Luna Negra Dance Theater em Nova York. Sobre o espetáculo “Cinderela”, a coreografia foi muito bem elaborada. Os momentos das coreografias em grupo passavam a ideia de unidade e sincronia através dos movimentos do corpo de baile. Os passos estavam em bastante envolvimento com as músicas.

O destaque especial vai para a bailarina Ane Adade. Ela interpretou umas das irmãs de Cinderela. Os movimentos feitos por Ane Adade passavam humor para quem assistia e a expressão corporal dela captava extraordinariamente a ideia de “contar uma história” através da dança. 



Foto divulgação: Karin van der Broocke

A música variava de erudita aos ritmos latinos. Os figurinos, desenvolvidos por Gelson Amaral, pareciam mais realistas do que teatrais - isso foi outro aspecto positivo da montagem. Algo que também merece destaque foi a interação da apresentação com o público. Em determinados momentos, os bailarinos subiam ao palco ao passarem por quem assistia à apresentação e interagiam com os espectadores.


Foto divulgação: Karin van der Broocke


O grupo Teatro Balé Guairá, que é originário de Curitiba, demonstra como existem tantos talentos na dança brasileira. Em comparação com outras apresentações estrangeiras já vistas, o domínio e a técnica dos bailarinos brasileiros podem ser considerados até mesmo melhores em qualidade. É um espetáculo que merece ser revisto diversas vezes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário