segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Transição da pintura românica para a gótica



A transição entre o período românico e o gótico pode ser vista através do desenvolvimento das técnicas de pintura a óleo. No período românico, houve a ascensão das pinturas afresco. Martins e Imbrioisi (2011) falam sobre deformação e colorismo que foram duas técnicas bastante utilizadas na época:

A deformação, na verdade, traduz os sentimentos religiosos e a interpretação mística que os artistas faziam da realidade. A figura de Cristo, por exemplo, é sempre maior do que as outras que o cercam. O colorismo realizou-se no emprego de cores chapadas, sem preocupação com meios tons ou jogos de luz e sombra, pois não havia a menor intenção de imitar a natureza. 



No segundo período, houve a elaboração do conceito de perspectiva. Nesse conceito, há a formação de tridimensionalidade na pintura. O principal nome no desenvolvimento nessa técnica é Giotto di Bondone. Para Martins e Imbroisi (2011), Johannes van Eyck pertenceu ao período gótico também. Ele utilizou-se de técncias como veladura e empaste. Na primeira, aplica-se uma camada finíssima de tinta a uma parte já seca. Essa técnica serve para dar a ideia de transparência e iluminação a uma pintura. Já a segunda é utilizada para dar base à veladura através de camadas mais espessas de tinta. 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MARTINS, Simone R.; IMBROISI, Margaret H. História da arte. Disponível em: http://www.historiadaarte.com.br/linhadotempo.html, s.d. Acesso em 13 de agosto de 2015.



RICCETO, Lígia. Pintura: arte, técnica e história. São Paulo: IBEP. 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário